investimentos a prova de crise

Conheça 3 investimentos à prova de crise

Momentos de crise política ou econômica representam turbulência para muitos investidores, pois afetam diretamente a rentabilidade dos investimentos. Até mesmo quem tem o perfil mais arrojado enfrenta os desafios das oscilações do mercado financeiro, pois o acúmulo de sucessivas quedas podem gerar imprevistos.

Por isso, queremos apresentar novas perspectivas de investimento. Assim, você não precisa se preocupar tanto com as crises e a volatilidade dos seus ativos. Além disso, independentemente do seu perfil de investidor, é importante ter em sua carteira, opções pouco voláteis e seguras para tempos de crise.

Neste artigo, vamos mostrar 3 investimentos que são à prova de crise para você montar uma carteira mais segura e rentável. Boa leitura!

1. Investimento em ouro

Pode até  parecer um pouco anacrônico ou remeter às histórias medievais dos antigos alquimistas, mas investir em ouro ainda é uma boa opção. Inclusive, é considerado por muitos como o ativo mais resistente às crises, contando com uma proteção especial contra a inflação.

O ouro é uma commodity mineral, além de uma ótima reserva de valor. E você sabe por quê? Pois tem o potencial de proteger o investidor em momentos de incertezas, decorrentes das crises.

Esse mineral tem uma característica anticíclica, isto é, em períodos críticos da economia, segue o movimento contrário de valorização. Historicamente, esse ativo oferece uma rentabilidade crescente e positiva em cenários cujos indicadores macroeconômicos estão em desaceleração.

Essa relação inversa ocorre porque o ouro não tem a tendência de sofrer influência de alguns fatores macroeconômicos — como a inflação e as oscilações negativas da taxa básica de juros.

Assim, enquanto a moeda desvaloriza, esse metal precioso atua como uma fonte segura de reserva de valores, não sendo influenciado negativamente pelo aumento dos índices inflacionários. Entre os fatores que contribuem para essa característica do ouro, podemos listar a preciosidade e a escassez.

Em suma, esse metal precioso é um ótimo investimento alternativo em tempos de crise. Porém, é importante pontuar que em cenários econômicos mais favoráveis, vale considerar outros investimentos mais rentáveis. Além disso, vale a pena considerar o bitcoin — o ouro digital — por também ser uma ótima forma de reserva de valores.

Afinal, como investir em ouro?

Em primeiro lugar, podemos adquirir esse ativo em barra ou em moeda de distribuidoras especializadas. O único problema dessa forma de aquisição é não saber onde preservar o ouro. Na busca de um local seguro, você pode procurar por empresas que aceitam o depósito desse metal. Porém, a alternativa não é muito recomendada devido à baixa liquidez. Sem contar que não é tão fácil vender o ouro em barras ou moedas.

A segunda forma é por meio de fundos negociados em bolsa (ETF). Além disso, desde julho de 2020, a bolsa de valores negocia os BDRs da mineradora Aura minerals ,que podem ser comprados utilizando o home broker. Ou seja, a negociação desses ativos pode ocorrer de modo virtual.

2. Investimento em títulos públicos

Como o investimento em ouro é uma novidade aqui no blog, optamos por estender o tópico. Já os títulos públicos, disponíveis na plataforma do Tesouro Direto, são conhecidos do nosso leitor. Então, vamos passar brevemente por esses ativos.

Entre os investimentos à prova de crise, os títulos públicos com rentabilidade híbrida, também são uma boa alternativa. Afinal, garantem uma rentabilidade superior à quantia investida. Além disso, alguns são atrelados a índices inflacionários, o que gera um retorno acima da inflação.

Na plataforma do Tesouro Direto, os títulos híbridos têm taxa prefixada mais o rendimento do IPCA ou SELIC. O pagamento é feito pela União. Por isso, você pode achar que a probabilidade de calote é alta. Fato é que isso é um bem improvável. Afinal, o não pagamento desses títulos pode gerar um efeito devastador na economia, pela falta de confiança no país.

É importante lembrar que se alguns desses títulos tiverem seu resgate antes do vencimento, o fator marcação a mercado pode levar a uma rentabilidade não muito boa.

3. Investimento em precatórios

Em tempos de crise, os precatórios são uma excelente forma de investimento. Não sofrem influência das quedas na Bolsa de Valores e ainda pode garantir um retorno expressivo ao investidor. Como um investimento alternativo, os títulos judiciais garantem a segurança da renda fixa e, ao mesmo tempo, pode trazer uma boa rentabilidade.

É bom esclarecer que as últimas alterações constitucionais relativas aos precatórios federais podem causa desconfiança no mercado. Mesmo assim, segue sendo possível alcançar retornos financeiros excelentes graças à sua característica de ser um investimento seguro. Para isso, é bom investir com quem entende do assunto e faz uma análise rigorosa desses ativos. Então, não deixe de contar com a ajuda de uma empresa especializada.

Enfim, opções de investimentos não faltam no mercado mesmo diante de um cenário de crise. Ouro, títulos públicos do Tesouro Direto e precatórios são alguns dos ativos mais seguros para incluir em sua carteira a fim de ter uma boa rentabilidade. Vale a pena ficar de olho no tema, pesquisar sobre as possibilidades e acompanhar as principais notícias. Assim, fica mais fácil investir com segurança e sem medo.

Quer saber mais sobre investimentos em precatórios? Entre em contato com a Mercatório! Adotamos um criterioso trabalho de due diligence para você investir com confiança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *