O que são, onde vivem e por que investir em Precatórios?

Reading Time: 4 minutes

 

O cenário dos investimentos pode ser muito mais amplo do que se imagina. Dadas as circunstâncias nada favoráveis – leia-se “não tá fácil pra ninguém” – do âmbito econômico nacional, que se encontra em queda, subentende-se que aplicar o dinheiro em qualquer segmento é um risco de grande magnitude. Contudo, ainda que as estatísticas do mercado não pareçam favoráveis aos investimentos, existem opções mais seguras e igualmente eficazes para quem busca por bons rendimentos da quantia aplicada. Mas, antes de revelarmos qual o caminho a ser seguido, vamos pensar em hipóteses. Já pensou investir em Precatórios?

 

Precatórios: você já os conhece, embora não de nome

 

Imagine que algum amigo seu ou conhecido tenha entrado com uma ação contra o Estado e ganhado a causa. Provavelmente, ele irá receber uma quantia pelo veredito positivo, se ficar esclarecido, é claro, que o indivíduo estava com a razão, provando por A mais B o porquê da intervenção judicial.

Agora, aqui vai a pergunta a você, leitor: sabe que nome leva esta ordem de pagamento imposta pela Justiça? Estamos falando dos chamados Precatórios. Resumidamente, são os pagamentos emitidos pela Justiça, seja contra a União, estados, Distrito Federal ou municípios. Os Precatórios podem ser expedidos pela Justiça Estadual, Federal ou Trabalhista, dependendo da ação movida pelo indivíduo.

Tomando como base que os Precatórios são ordens de pagamentos judiciais, você pressupõe que todo o processo leva um tempo considerável a ser concluído. Em outras palavras: vai demorar pra receber todo o dinheiro, mesmo que esteja com a razão. Até porque, como popularmente lembrado, a Justiça pode ser infalível, mas tarda, e muito! Provavelmente você, leitor, deve estar se perguntando qual o objetivo de se entender este segmento. E nós o explicaremos, pois prometemos uma solução eficaz para bons rendimentos, não é?

 

Comprar Precatórios: bom investimento ou cilada?

 

Imagine o seguinte cenário: a hipotética indenização (por meio do Precatório) a ser recebida pelo seu amigo ou conhecido está demorando mais que o previsto. Por vezes, espera-se por anos e, em alguns casos, uma eternidade (sim, literalmente) para o acerto do valor da ação judicial. Mas, aí vem o caminho das pedras: você pode investir nos Precatórios. Sim! Comprar Precatórios é uma das vertentes para o investimento atual que garante retornos consideráveis a quem o faz. Mas, como funciona o processo – aparentemente – promissor?

Por exemplo, vamos supor que o investidor opte pela compra do Precatório Alimentar, referente aos salários, pensões e aposentadorias. Cronologicamente, são os prioritários à Justiça, sendo estes quitados em menor tempo (algumas poucas décadas, talvez?). Contudo, se você, que possui interesse em investir em Precatórios, “assumindo” a dívida da Justiça do seu amigo, conhecido ou desconhecido (por que não?), poderá lucrar no momento do recebimento do acerto do processo.

Os valores podem variar em até 35% de retorno. Interessante, não acha? Mas, assim como nos outros segmentos, o investimento na aquisição de Precatórios deve ser feito com cautela, já que os riscos são altos. Apesar de promissora, investir nessa vertente lucrativa também pode ser prejudicial às suas economias, tornando-as precárias (sem trocadilhos).

 

Como proceder corretamente para investir em Precatórios?

Uma vez ciente do longo período entre o reconhecimento da dívida do ente público e o recebimento do credor, abrem-se precedentes. E quais são eles? Sim, Investir em Precatórios! Vale lembrar que, apesar da aparente maleabilidade do investimento, adquirir Precatórios exige conhecimento. Mais do que um entendimento abrangente, é necessária sabedoria para lidar com a compra de Precatórios. Investir é arriscar. Por isso, certifique-se de conversar com outros investidores mais experientes a respeito. Optar por empresas de confiança que viabilizam o processo de compra, como também a venda (falaremos disso depois), também é um passo importante. Em outras palavras, know-how nunca é demais!

Em se tratando de um segmento promissor e lucrativo, todo o cuidado é pouco. Aliás, não meça a cautela, principalmente quanto a quem recorrer. Captou nossa mensagem? Sim, estamos falando de “profissionais” que podem comprometer o investimento da compra de Precatórios. Afinal de contas, trata-se de um produto lucrativo que reduz a carga fiscal de forma legal. Por isso, muitos indivíduos se veem atraídos pelo investimento.

Dessa forma, sem o devido conhecimento ou experiência, a compra de Precatórios pode ser comprometida. Em outras palavras, o lucro esperado pelos Precatórios podem se converter em prejuízos (trocadilhos didáticos, sim!). Se o seguro morreu de velho, ele teve um bom motivo para isso, não é? E, tanto na aquisição de Precatórios, quanto em qualquer outro investimento, toda a atenção é necessária. Com isso, propomos o seguinte conjunto de ações para que você possa se resguardar no processo: observe, compreenda e pense novamente. Repita o verso 44 vezes.

 

Quer saber mais? Acompanhe nossos próximos posts, no qual explicaremos os conceitos de Precatórios de forma mais específica. Também falaremos sobre a venda de Precatórios, e do que é importante considerar antes do processo. E o que acha de debatermos sobre as estratégias mais assertivas a serem adotadas ao investir em Precatórios? Ou vai preferir deixar o dinheiro parado sob o colchão? 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 pensamentos em “O que são, onde vivem e por que investir em Precatórios?”

  • Avatar
    • Breno Rodrigues
  • Avatar
    • Daniel Costa